João Freitas

A petição lançada contra o Mamadou não foi apenas um ataque pessoal, mas também mais um sintoma do racismo estrutural presente neste país.

O combate ao racismo, o antifascismo, a igualdade, a superação da sociedade onde vivemos, são lutas onde o Mamadou sempre esteve na linha da frente. E é precisamente por isto que quem o odeia o ataca, instiga o ódio, bem como legitima a violência perante as pessoas racializadas e não permite que possam melhorar as suas condições.

Enquanto estas condições permanecerem, a luta será necessária e o Mamadou continuará a dizer “Presente!”. Por isso, ele merece toda a solidariedade.

Mamadou fica!

João Freitas
estudante