Gonçalo Pessa Costa

As sociedades herdam património e isso dá lhes identidade. Portugal tem o arroz de tamboril, a Universidade Coimbra, a música de Zeca Afonso e a literatura de Saramago.

Mas herdam também dívidas, e Portugal tem uma enorme para com a humanidade, pelo seu passado de exploração e genocídio colonial e o seu contributo para o esclavagismo.

É tanto nosso o nosso património histórico como são as nossas dívidas históricas. Sim, nem uma coisa nem outra se escolhem. Mas estão lá, fazem parte de como nos veem, devem fazer parte de como nos vemos.

Mamadou fica porque lhe apetece ficar e não quer ir a lado nenhum. Eu fico grato por isso, porque o Mamadou, lado a lado com outras pessoas, tem contribuído para a existência de um movimento antirracista em Portugal forte e que cria património. O património de um país que trata toda a gente com dignidade, e que reconhece o seu passado encarando as suas dívidas históricas. Património que fica. Como o Mamadou. Mamadou fica.

Gonçalo Pessa Costa
economista