Maria Santos

As palavras proferidas pelo Sr. André Ventura, argumentando em prol do seu projeto-lei, têm um cariz de extrema ameaça aos valores mais básicos e essenciais da democracia, dignidade e direitos humanos. São discursos perigosos, estes sim, incitando à intolerância e contra a liberdade de expressão, que identifico como crimes graves – uma vez que contrariam os valores nacionais defendidos por uma Constituição que os repele.

Desta forma, não deveria o Sr. André Ventura perder a sua nacionalidade portuguesa porque atenta contra as leis deste país? Ou, não sendo possível, ser criminalizado? 

Punir um ativista pelos direitos humanos, seja, ou não, português, mais não é do que legitimar as atitudes e ideologias de extrema-direita neo-nazi, que vê os direitos cívicos e os seus/suas defensore/as como uma terrível ameaça aos seus intuitos ditatoriais, com base em inverdades e ignóbeis argumentos.

O contributo do Sr. Mamadou Ba – que, incessantemente, luta contra uma das mais básicas e desprezíveis formas de desigualdade e injustiça, o racismo – é essencial para a mudança de mentalidades e, logo, para a igualdade, sendo este um critério essencial  para a evolução e dinâmica salutar de qualquer democracia autêntica.

Maria Santos
socióloga