Renísia Cristina Garcia Filice

Conheci Mamadou Ba por textos, em seguida, mergulhado no contexto antirracista português. Altamente qualificado, Mamadou compõe a Rede de ativistas do projeto Tecendo Redes Antirracistas, criado por mim e iniciado em Portugal, 2016. Uma proposta que tensiona a empresa colonial portuguesa, e também enfrenta com formação, competência ética, as múltiplas e excludentes formas de racismo em Portugal, no Brasil e no mundo. 

Não nos surpreende a perseguição a esse ativista da mais alta qualidade, todavia nos indigna a atitude do Ministério Público português, e se mostra incoerente.

O Estado português ao longo dos anos vêm tentando de todas as formas se descolar da acusação de racista. 

É incoerente que um de seus cidadãos mais conhecido, internacionalmente , esteja sendo processado por ser um árduo defensor dos Direitos Humanos. 

Na certeza que haverá uma reviravolta no caso, e o reconhecimento de que se trata de perseguição de caráter racista e político, nos manifestamos em favor da inocência de Mamadou Ba.

Renísia Cristina Garcia Filice
Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Públicas, História, Educação das Relações Raciais e Gênero, Universidade de Brasília (UnB/Brasil)