Leonel Gonçalves

Tanto o Estado Português como todas as principais instituições nacionais, incluindo a justiça, as forças de segurança, a educação, a comunicação social e a indústria de entretenimento, estão num estado deliberado ( que alguns afirmam ser involuntário e subliminar…) de rigorosa negação da existência de racismo, discriminação racial e de crimes contra a humanidade no passado e no presente da sociedade portuguesa.

O prosseguimento ativo, de forma firme e estrita, desta política nacional de negação e ocultação, é suportado pela prática de quase todas as forças políticas do país, dos neo-nazis pós-coloniais aos governantes socialistas e aos comunistas ortodoxos. Mesmo entre as forças de esquerda mais recentes e atualizadas, as questões raciais são frequentemente varridas para debaixo do tapete e raramente aparecem no primeiro plano das preocupações.

Parece que toda a gente se preocupa sobretudo, e de forma muitíssimo ignorante, com a solidez da ‘identidade nacional’ e o seu possível desmoronamento se tais questões forem encaradas! 

Leonel Gonçalves
sociólogo