Manuel Luís Macaísta Malheiros

Tive oportunidade de conhecer o senhor Mamadou Ba quando ambos fomos membros da CICDR – Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial do Alto Comissariado para as Migrações, onde ambos trabalhámos. Fomos eleitos membros da Comissão Permanente da CICDR presidido pelo senhor Alto Comissário.

As intervenções do senhor Mamadou Ba foram sempre no sentido de se conseguir fazer justiça em todos os casos em que estavam em causa questões de alegada discriminação apurando todos os factos favoráveis ou desfavoráveis ao alegado suspeito de comportamento discriminatório e fazendo correta aplicação da lei.

Com uma grande cultura, conhecedor dos problemas da nossa sociedade que analisava com grande lucidez.

Dos nossos contactos fiquei com a melhor das impressões do senhor Mamadou Ba, um humanista sério e responsável, corajoso e firme na defesa das suas convicções mas ouvindo com atenção e respeito os outros pontos de vista, sem qualquer agressividade ou arrogância.

No exercício das suas funções na CICDR a sua intervenção era firme mas cordial com absoluto respeito por todos os participantes e pelas suas opiniões. Tinha uma grande capacidade para ouvir os argumentos dos outros membros e contra-argumentar calmamente, com rigor e fundamento. No âmbito da Comissão Permanente as decisões absolutórias ou condenatórias foram sempre por unanimidade sem qualquer discrepância entre os três membros.

No plano pessoal o senhor Mamadou Ba revelou-se uma pessoa afável.

Foi para mim uma grata satisfação termos trabalhado juntos pela igualdade e contra a discriminação.

Manuel Luís Macaísta Malheiros
juiz desembargador aposentado