Giancarlo Pace

Mamadou,

conheci-te quando eu vivia em Portugal. Foi um prazer, uma honra, contigo aprendi muito.

Agora vivo na Itália. Se fosse egoista, queria que mudasses para a Itália também,  queria que organizasses aqui um movimento anti-racista, queria poder conversar e interagir contigo frequentemente.

Mas eu desejo o que é justo.

Quero que tu fiques em Portugal, onde estás a fazer um trabalho extraordinário, onde és um exemplo de virtude para a tua comunidade.

Mamadou Ba, fica.

Giancarlo Pace
astrofísico / professor