Ricardo Moreira

Algumas pessoas só terão reparado no Mamadou Ba há pouco tempo, mas ele está presente no trabalho antirracista há décadas. Há décadas que faz trabalho de formiguinha, trabalho que não se vê, trabalho radical, porque próximo das raízes e das pessoas. Há décadas que o Mamadou e as companheiras e companheiros do SOS Racismo estudam o racismo, fazem o combate antirracista e constroem pontes para o enfrentar.

Há outras pontes que o Mamadou faz, contra o machismo, contra a LGBTI+fobia, contra a exploração do trabalho. Essas pontes são os alicerces de uma sociedade nova, radicalmente democrática de que não podemos abdicar, ainda mais agora que há quem faça do medo a sua política.

Mamadou Ba fica, porque o antirracismo fica. E bem precisamos dele.

Ricardo Moreira
investigador em trabalho e segurança social