Ana Catarino

De repente, encontramo-nos nesta circunstância bizarra de ter de dizer o óbvio: que Mamadou fica. Como se o ir fosse sequer uma hipótese a considerar a não ser pelo próprio. 

O racismo não é matéria de opinião, é crime. E neste país que um dia se viu como império o racismo é estrutural e institucional. Ser anti-racista é por isso uma obrigação, sobretudo para quem como eu, é uma pessoa branca. Cabe-nos a tarefa histórica de destruir o que os nossos antepassados construíram. Ao Mamadou Ba, como a tantas/os negras/os, agradeço por não nos dar descanso nesta luta que é de todas nós. Ele fica onde ele quiser ficar. Por mim, desejo que não arrede pé daqui!

Ana Catarino
antropóloga