Samuel F. Pimenta

Mamadou Ba fica!

Como tantas pessoas nascidas em Portugal, estudei inserido num sistema de ensino que vangloria e mitifica o passado esclavagista, colonialista e imperialista português, com total ausência de um olhar crítico e consciente do que efectivamente sucedeu no período que vai da Expansão Marítima até à actualidade. Essa postura diante da nossa História é uma continuidade do que foi a propaganda da ditadura de Salazar e ainda é repetida pelas altas instâncias que representam Portugal, alimentando a ilusão da excepcionalidade dos colonizadores portugueses e da sua vocação messiânica, como se os impérios não fossem edificados, sempre, pela mão da avidez, do domínio, do poder, da guerra e da morte.

Importa, por isso, além de ganhar consciência desse passado bárbaro – tornando-o visível através de estudos, criações artísticas, memoriais, museus, acção social -, assumir as consequências nefastas que mais de quinhentos anos de exploração de outros povos ainda têm nas sociedades contemporâneas, de que são exemplo o racismo e a xenofobia que ainda persistem em Portugal. Só assim poderemos viver numa sociedade madura e democrática, como a que Mamadou Ba tem estado empenhado em construir, apesar das vozes que se têm levantado contra ele. Por isso, expresso aqui o meu total apoio e solidariedade para com este cidadão, repudiando todas e quaisquer tentativas que visam expulsá-lo de Portugal. Mamadou Ba fica!

Samuel F. Pimenta
poeta e escritor