José Monteiro

Nas últimas semanas, com o falecimento de uma pessoa portuguesa (Marcelino), algumas vozes manifestaram a sua opinião sobre a vida deste indivíduo.

Uma das vozes foi Mamadou, para falar das atrocidades que esta pessoa fez durante a guerra colonial, crimes de guerra que nunca foram condenados devido a “ordens superiores sem rosto…”

Outras vozes falaram também de quão heroico foi Marcelino.

As pessoas têm de poder manifestar a sua opinião seja ela qual for, também para se perceber quais são os problemas reais de uma sociedade, por mais que custe a aceitar a opinião contrária.

O que não se admite são pessoas que usam do seu “poder de antena / político / público” e dissimulando uma tentativa de diálogo com pessoas que estão verdadeiramente empenhadas em lutar contra esta causa que é extremamente urgente e honesta, contra estas se insurgem com ataques intelectuais gratuitos. Estou claramente a falar do tom jocoso próprio do “homem branco” com que se apresentou o pedaço de matéria orgânica Nuno Melo num debate para se falar sobre o racismo na TVI. Estou a falar de jovens que apelam inconscientemente, ou não, a outros jovens a amar uma história, que confesso não sabia, que começou com o massacre de 5000 a 10000 pessoas com napalm?! O quê? Estou a falar de pessoas que acham que têm o direito de deportar uma pessoa portuguesa pois não concordam com a sua opinião, que está a lutar entre outras coisas para que se saiba das duas coisas acima? Mas estamos todos parvos!!!

São demasiados factos provenientes da mesma fonte que é o CDS, que indicam uma intenção clara e feroz de fomentar o ódio.

Outra coisa que não aceito também é uma tentativa de manipular a opinião pública, fazendo parecer que todos os portugueses partilham da sua opinião racista, machista e maliciosa, atentando intelectualmente contra cada um de nós quando se intitula como “pessoa de bem”, com o tal ar jocoso típico do “homem branco”, que tenta ridicularizar as pessoas que não partilhem das suas opiniões, que eu rejeito e tenho vergonha de partilhar o mesmo país.

Isto começa a ganhar ainda mais relevância quando os chefes de estado, as altas figuras do nosso pais não tem uma posição clara sobre este assunto, dando um aval silencioso inconsciente, que deixa de o ser (inconsciente e o torna PROPOSITADO) quando os cidadãos assim o exigem, a esta clara tentativa maléfica, a meu ver, de tentar manipular a opinião publica sobre um assunto tão urgente, honesto, humano, e pilar de uma sociedade que se diz civilizada.

ISTO NÃO PODEMOS ACEITAR!!!!
Acho isso extremamente grave!!


Mamadou Ba, desculpa todos os ataques de que tens sido vítima, e desculpa todos os ataques que fizemos e fazemos constantemente, como sociedade portuguesa, a ti e a todos. As pessoas precisam de acordar, e vão acordar, ou estão a acordar, eu já despertei 

José Monteiro
software developer